domingo, 24 de março de 2013

Você precisa de alguém, que te dê SEGURANÇA


 Por Marcelo Braga


É com esse título enorme que mais parece tema de escola de samba, que também venho falar do assunto que mobilizou a mídia mundial e mais repercutiu nas últimas semanas que foi a tragédia na cidade de Santa Maria no RS. Esse episódio ainda vai render muito, e acredito que as inúmeras vidas que se foram, essas perdas irreparáveis, fazem com que enfim as autoridades de todo Brasil tomem providências interditando casas noturnas e vários outros locais que deveriam ser para entretenimento, mas que quando estão irregulares com um piscar de olhos se transformam nos ceifadores das almas inocentes. Essa tragédia me fez levantar a seguinte questão: quais os itens de segurança que encontramos no local do evento (ou pelo menos deveríamos encontrar), o que providenciamos para evitar acidentes e quais as atitudes que devemos tomar nesses casos?
Devemos sempre observar se existem extintores de incêndio no local, o seu prazo de validade, conhecer as saídas de emergência, ver se o local possui um brigadista, se existe uma rota de fuga, se existe uma sinalização das saídas e acima de tudo, instruir a equipe envolvida no evento dando noções de prevenções de acidentes e incêndios. Em vários países, como vocês sabem se faz treinamentos e deveríamos implantar isso no Brasil de uma forma mais rigorosa.
Realmente extintores de incêndio são horrorosos, é um dos fantasmas do decorador, pois nunca combina com nada, num projeto que tenho de escrever um livro um dia com o nome provisório de 50 tons de cafonice, o extintor estaria cotato para a vaga de primeiro lugar...Mas extintores são completamente necessários e importante num ambiente de festas e eventos.
Devemos ter cuidado com a instalação das luzes cenográficas, com a cozinha montada pro evento, com os lustres pendurados, com as velas, com as paredes falsas criadas, as tochas, etc, etc, etc... Aí vocês me questionam: Quer dizer que agora esse decorador, projeto de bombeirão Albucacys almeja o Nobel da Paz por essas dicas que já sabíamos?
De jeito algum tenho essa pretensão, até porque se fosse bombeiro, seria frustrado, pois jamais seria convidado por nenhum calendário homenageando os Heróis do Fogo como o Mister Abril mostrando meu peitoral naturalmente peladinho e o mais próximo que cheguei de um Nobel da Paz foi a rua próxima da minha casa que tem esse nome. Só que essas tragédias marcam profundamente nossas vidas, garanto que todos lembram onde estavam e o que faziam no dia 11 de setembro de 2001.
Em eventos onde o contratante quer colocar mais cadeiras e mesas do que é permitido pela capacidade do local, o decorador tem a obrigação de convencer o dono da festa a ver um local mais adequado para a realização do evento, ou colocar tendas e coberturas para aumentar o espaço físico para o evento, pois a segurança que o evento deve transmitir aos convidados é fundamental. Se algum acidente grave acontecer num espaço onde o numero de pessoas atropelou o bom senso da capacidade do local, considere-se conivente e igualmente culpado pelo ocorrido, podendo ser indiciado.
Certa vez uma decoradora, se é que a posso chamar assim, pra impressionar a empresa que a contratou para uma decoração natalina, colocou tanto pisca pisca made in Taiwan, mas tanto, tanto, tanto...que deu um curto e o fogo lambeu a arvore do Noel, deixando funcionários do local em pânico pra conter as chamas. Soube de um funcionário que estava perto no exato momento que tudo começou, e manteve a calma e a serenidade nessa situação desesperadora. Aí vocês me dizem: “Corajoso esse rapaz!” e eu respondo: “Ele manteve a calma, pois estava terminando de fazer a francesinha na última unha, e o esmalte nem com todo calor, estava próximo de secar!”
Abaixo regras extraídas do site da Fiocruz, onde já imprimi a minha pra usar em futuros eventos.



*  Mantenha sempre à vista o telefone de emergência do Corpo de Bombeiros - 193
*  Conserve sempre as caixas de incêndios em perfeita condições de uso e somente as utilize em caso de incêndio.
*  Os extintores devem estar fixados sempre em locais de fácil acesso, devidamente carregados e revisados (periodicamente).
*  Revisar periodicamente toda a instalação elétrica do prédio, procurando inclusive constatar também a existência de possíveis vazamentos de gases.
*  Evitar o vazamento de líquidos inflamáveis.
*  Evitar a falta de ventilação.
*  Não colocar trancas nas portas de halls, elevadores, porta corta-fogo ou outras saídas para áreas livres. Nem obstruí-las com materiais ou equipamentos.
*  Tomar cuidado com cera, utilizada nos piso,s quando dissolvida. Não deixar estopas ou flanelas embebidas em óleos ou graxas em locais inadequados.
*  Alertar sobre o ato de fumar em locais proibidos (como elevadores) e sobre o cuidado de atirar fósforos e pontas de cigarros acessos em qualquer lugar.
*  Aconselhar os trabalhadores para que verifiquem antes de sair de seus locais de trabalho, ao término da jornada de trabalho, se desligaram todos os aparelhos elétricos, como estufas, ar condicionado, exaustores, dentre outros.
*  Em caso de incêndio, informar o Corpo de Bombeiros o mais rápido possível: a ocorrência, o acesso mais fácil para a chegada ao local e o número de pessoas acidentadas, inclusive nas proximidades.
*  Nunca utilizar os elevadores no momento do incêndio.
*  Evitar aglomerações para não dificultar a ação do socorro e manter a área junto aos hidrantes livre para manobras e estacionamento de viaturas.


Entre as normas de segurança estabelecidas por lei para as instalações prediais, estão a conservação e a manutenção das instalações elétricas. Existem vários tipos de sistemas de proteção das instalações elétricas, como fusível tipo rolha, disjuntor, entre outros. Todos devem estar funcionando perfeitamente, pois qualquer princípio de incêndio pode ser ocasionado por descargas de curto-circuíto.
Qualquer edificação possui um projeto de circuito elétrico, que dimensiona tipos e números de pontos de corrente (tomadas) ou luz, conforme suas características de consumo. Quando na presença de uma sobrecarga este circuito não dimensionado para uma corrente de curto-circuito eleva-se em muito a temperatura, iniciando o processo de fusão do fio, ou pior, o início de um incêndio. Por este motivo cuidado com a utilização de benjamins.
Todos os trabalhadores devem estar sempre atentos às normas básicas de segurança contra incêndio para evitar acidentes. Prevenir é a palavra de ordem e todos devem colaborar, pois é mais importante evitar incêndios do que apagá-los.

Ao primeiro indício de incêndio, transmita o alarme geral e chame imediatamente o Corpo de Bombeiros.

Combate ao Fogo

Desligue a chave elétrica geral, em caso de curto-circuito. Procure impedir a propagação do fogo combatendo as chamas no estágio inicial.
Utilize o equipamento de combate ao fogo disponível nas áreas comuns da edificação.


Não sendo possível eliminar o fogo, abandone o edifício rapidamente, pelas escadas. Ao sair, feche todas as portas atrás de si, sem trancá-las..
Não utilize o elevador como meio de escape.
Não sendo possível abandonar o edifício pelas escadas, permaneça no pavimento em que se encontra, aguardando a chegada do Corpo de Bombeiros.
Somente suba ao terraço se o edifício oferecer condições de evacuação pelo alto, ou se a situação o exigir.


-  Desligue imediatamente o equipamento que estiver manuseando e feche as saídas de gás.
-  Procure sempre manter a calma e não fume. Não tire as roupas. Dê o alarme.
-  Mantenha, se possível, as roupas molhadas.
-  Jogue fora todo e qualquer material inflamável que carregue consigo.
-  Em situações críticas feche-se no banheiro, mantendo a porta umedecida pelo lado interno e vedada com toalha ou papel molhados.
-  Em condições de fumaça intensa cubra o rosto com um lenço molhado.
-  Não fique no peitoril antes de haver condições de salvamento, proporcionadas pelo Corpo de Bombeiros. Indique sua posição no edifício acenando para o Corpo de Bombeiros com um lenço.
-  Aguarde outras instruções do Corpo de Bombeiros.
-  Em caso de incêndio, se você se encontra em lugar cheio de fumaça procure sair, andando o mais rente possível do piso, para evitar ficar asfixiado.
-  Em regra geral, uma pessoa cuja roupa pegou fogo procura correr. Não o faça: a vítima deve procurar não respirar o calor das chamas. Para o evitar, dobre os braços sobre o rosto, apertando-os: jogue-se ao chão e role, ou envolva-se numa coberta ou num tecido qualquer.
-  Vendo correr uma pessoa com as roupas em chamas, não a deixe faze-lo. Obrigue-a a jogar-se ao chão e rolar lentamente.
-  Use de força, se necessário, para isso.
-  Se for possível, use extintor ou mangueira sobre o acidentado.
-  No caso de não haver nada por perto, jogue areia ou terra na vítima, enquanto ela está rolando. Se puder, envolva o acidentado com um cobertor, lona ou com panos grossos.
-  Envolva primeiro o peito, para proteger o rosto e a cabeça. Nunca envolva a cabeça da vítima, pois assim você a obriga a respirar gases.
-  Ao perceber um incêndio não se altere; estando num local com muitas pessoas ao redor, não grite nem corra. Acate as normas de prevenção e evite acidentes.
-  Trate de sair pelas portas principais ou de emergência, de maneira rápida, sem gritos, em ordem, sem correrias. Nunca feche com chaves as portas principais e as de emergência.
-  Não guarde panos impregnados de gasolina, óleos, cera ou outros inflamáveis.
-  Após o uso do extintor, notificar o serviço de segurança para recarregamento.

Referências Bibliográficas:
·          Instruções básicas de combate a incêndio http://www.administer.com.br/po.htm
·          Fiocruz




Postar um comentário