quinta-feira, 6 de junho de 2013

Saudades de um Gênio: Clodovil Hernandes

O grande estilista Clodovil Hernandes faria aniversário nesse mês de junho 

A gargalhada incomparável de Clodovil

O estilista Clodovil Hernandes se estivesse vivo faria no dia 17 de junho 76 anos de pura jovialidade e sofisticação. Ele marcou uma época e mostrou para o mundo que o Brasil faz moda também, abrindo os caminhos para os nomes que surgiram depois dele.
Clodovil inspirou e instituiu o luxo na moda além de vários segmentos com sua marca (ou grife) como decoração, acessórios e até nos meio automobilísticos como o Monza Clodovil lançado pela GM em 1982. Onde o requintado proprietário do carro ganhava além do design luxuoso do carro pra época, um jogo de malas com a assinatura do estilista, aquisição para poucos.

Clodovil e o Monza lançado pela GM em 1982 com o seu nome

Atuou como estilista e apresentador de programas em diversas emissoras. Tornou-se o terceiro deputado federal mais votado do País, com 493.951 votos ou 2.43% os votos válidos. 
Clodovil era conhecido também pela sofisticação das suas residências e seu monograma estava presente em toda parte como jogos de cama, mesa e banho além de peças decorativas que ele mandava personalizar. Essa sofisticação fez parte dos cenários de seus programas que ele mesmo idealizava e deixava seu toque.  


  Almofada do cenário de seu programa A Casa é Sua na Rede TV 

Clodovil e Ofrásia (Vida Vlatt) no intervalo das gravações do programa A Casa é Sua na Rede TV
Em 2006 entrou para a política após candidatar-se e eleger-se Deputado Federal pelo  Partido Trabalhista Cristão(PTC), possuindo inclusive o terceiro maior número de votos em São Paulo, estado por onde se candidatou. Tornou-se então o primeiro homossexual assumido a ser eleito deputado federal. Apesar disso, declarava-se contra a Parada do Orgulho Gay GLBT, o casamento gay e o movimento homossexual brasileiro.
Em setembro de 2007 o deputado decidiu trocar de partido e filiou-se ao Partido da República(PR), correndo desde então o risco de perder o mandato por infidelidade partidária, pois o TSE decidiu no dia 27 de março de 2007, que o mandato pertence ao partido e não ao eleito. No entanto, em 12 de março de 2009, foi absolvido por unanimidade dos votos. Clodovil deixou o partido alegando ter sido abandonado pela legenda desde a eleição, quando não recebeu material de campanha, e posteriormente, quando não recebeu assessoria jurídica do partido. Devido a isso, os ministros do TSE concordaram que houve perseguição interna, uma das condições que permitem que o parlamentar troque de legenda.
O Deputado Clodovil Hernandes em um de seus discursos

Clodovil Hernandes morreu em 17 de março de 2009, após ser registrada sua morte cerebral causada por um acidente vascular cerebral(AVC). O velório ocorreu no Salão Nobre da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo e o sepultamento teve lugar no dia seguinte à morte no Cemitério do Morumbi na capital paulista, onde já se encontravam os restos mortais de sua mãe adotiva Dona Isabel.

Em 23 de novembro de 2010 foi criado o Instituto Clodovil Hernandes, com o objetivo de preservar o nome, a memória e a obra desse grande artista que vestiu TODAS as mulheres mais influentes, importantes e famosas da sua época. O Instituto é administrado pelo amigo e ex acessor Mauricio Petiz que o conhecia a mais de 20 anos. Clodovil deixou um rico material de toda sua vida que hoje faz parte desse acervo de grande importância para o Brasil onde estudantes de moda, arquitetura fãs e outras pessoas possam ter acesso. 




Abaixo a matéria que o programa Domingo Espetacular da Rede Record fez sobre suas residências


FONTE: Wikipédia/Instituto Clodovil Hernandes/Portal R7

Postar um comentário