segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

                           Papai Noel

Com a chegada do Natal, a vinda do Papai Noel é bastante aguardada pelas crianças. Veja dicas para  famílias que "acreditam" e que não "acreditam"

O Natal está chegando e a criança fica bastante ansiosa para a tão esperada comemoração. A sua casa está toda ornamentada e a criança ainda crê fervorosamente que o Papai Noel existe. Ansioso, o pequeno pede para que você escreva o que ele gostaria de ganhar. Faz desenhos natalinos em um papel e fica feliz quando vê o bom velhinho nos corredores dos shoppings, distribuindo presentes para as crianças carentes nas ruas e na pracinha do seu bairro. Ela até já tirou uma foto com ele!
A partir dos 2 anos, a criança já começa a manifestar os seus sentimentos sobre o Natal. Com toda a magia da data pairando no ar, fica difícil não imaginar que o senhor bondoso de longas barbas brancas vá deixar alguns presentes ao pé da árvore. Afinal, ela foi boazinha durante todo o ano e merece ganhar uma lembrança incrível.
Vivenciar esta fantasia é muito gostoso. E ai vem a dúvida dos pais: é preciso contar a verdade? Ora, o Noel existe. No imaginário dos pequenos!


A transição precisa ocorrer de forma natural. Conforme a criança vai ficando mais crescidinha, ela começa a perceber que você faz longas idas às lojas de departamento e questiona quem compra o presente. Sem querer, em uma conversa com o seu marido, você diz que comprará tal presente para o seu afilhado e ela escuta. “Seria a minha mãe uma ajudante do Papai Noel?”.
Se a criança já estiver mais velha, a partir dos 6 anos, e lhe questionar sobre a existência dele, você deverá enfocar o significado simbólico do bom velhinho, sem ser muito direta. Foram alguns anos de espera ansiosa pela chegada dele. Lembre-se de quanto foi trabalhoso vestir seu marido a caráter nas noites de Natal e das longas risadas depois do fato. Fica difícil esquecer essa doce lembrança instantaneamente.
Dê tempo ao tempo. Ao longo da vida perdemos algumas fantasias e vivemos a realidade nua e crua. Deixe com que a criança experimente um mundo de sonhos até a hora que ela estiver crescida o suficiente e achar necessário abandoná-lo.
Dicas para que o Papai Noel não decepcione a criança
  • Se você não acredita em Papai Noel pelo motivo que for e acredita ser melhor não falar sobre Papai Noel para as crianças, então siga seu coração e aplique isso em seus filhos. Mas se estiver em uma festa em que as famílias cultuam o Papai Noel e há crianças, não desrespeite a vontade dessas pessoas. Se deseja debater sobre o tema, deixe o debate para outra ocasião.
  • Quando a criança for pedir um presente, verifique a possibilidade dela escolher mais de um como opções para o Papai Noel, para o caso dele não conseguir comprar a primeira opção da criança (Isso vai ajudar no caso da criança escolher um presente muito caro e você não puder dar. Ajude a criança a colocar dentre as opções algo que caiba em seu bolso).
  • Se você não vai conseguir dar nada do que a criança deseja, dê algo possível e diga que o Papai Noel não encontrou o presente que ela pediu ou que já tinha acabado na fábrica dele, por isso ele deixou aquele presente. Tente algo que a criança irá gostar, normalmente são coisas simples como bola, carrinho ou boneca.
  • Converse com seu filho sobre a possibilidade de dar de presente para outras crianças os brinquedos antigos mas em perfeito estado de funcionamento. Diga que às vezes o Papai Noel não consegue achar todas as casas e que por isso é importante ajudá-lo para que as crianças que moram em casas difíceis de achar também ganhem presentes. E se seu filho é um dos que já sabem que Papai Noel não existe, mostre que essa atitude é importante para que o Natal dele seja mais feliz e completo.


FONTE: http://guiadobebe.uol.com.br/papai-noel
Postar um comentário